Exposição das mais loucas idéias dos mais variados assuntos de três amigas: Letícia, Ana Catarine e Fernanda. Sejam bem-vindos!

24 de janeiro de 2009

Olhos Fechados


Quando apagamos a luz do quarto nossos olhos logo se deparam com uma escuridão onde é impossível enxergar um palmo a nossa frente. Ficamos meio atordoados, procurando um ponto de luz qualquer, uma fresta na janela, um resquício de luz embaixo da porta. Fechamos e abrimos os olhos para testar nossa percepção e por fim chegamos à conclusão de que o melhor é esperar, ficarmos quietos e não tentar nada muito arriscado. Mas então, aos poucos nossos olhos vão se acostumando com a escuridão. Começamos então a distinguir as coisas no quarto, vemos o lençol, o guarda-roupa, a escrivaninha e com o passar do tempo até detalhes que com a luz não valorizamos tanto, afinal eram tantas coisas no cenário. Antes de dormir sempre penso em muitas coisas na vida. Fico relembrando o dia, as frases, as atitudes e é nessas horas que a gente começa a filosofar. A vida às vezes nos traz momentos de grande escuridão. Onde ficamos perdidos sem saber para onde ir. Analisando todas as possibilidades percebemos que o melhor mesmo é sentar e esperar até que as coisas comecem a se mostrar para nós, até que os nossos olhos estejam adaptados para compreender aquela nova realidade. E aprendemos com isso. Valorizamos os momentos de luz. Lembramos que são daqueles momentos de grande iluminação que vamos conseguir não tropeçar no próprio chinelo. Porque se soubermos exatamente onde as coisas estão e onde podemos encontrá-las, com certeza o faremos até de olhos fechados.


By Ana

Um comentário:

mimirabolantes disse...

Adoro pegar as coisas no escuro....dentro de armários...através do tato....para mim....isso se chama ....desafio....