Exposição das mais loucas idéias dos mais variados assuntos de três amigas: Letícia, Ana Catarine e Fernanda. Sejam bem-vindos!

24 de julho de 2009

Aff, depois de tanto tempo aqui estou eu. São tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo que fica até difícil traduzir em palavras. Pra começar, estou realmente com a vida parada diante dessa imagem. São tantas decisões a serem tomadas que estou começando a me sentir um libriana - sem ofensas Ana. Quem olha para as minhas atitudes atuais juram que sou rebelde ou que bebi Q'boa mesmo, mas sei lá. Já teve aquela sensação de que de hoje em diante nada mais atrapalhar você a fazer o que sempre quis? Pois, estou me sentindo assim.
Até o momento não achei um que concordasse com tudo que fiz até o momento, muitos até dizem: 'olha, você vai se arrepender quando ficar mais velha e coisa e tals', e pode até ser que a lei de Murphy esteja certa, mas eu realmente acredito que tenho criatividade e que as coisas não podem piorar.
Sendo assim só me resta seguir o conselho da minha 'velha e sábia' amiga e aproveitar os dentes!!
Bom fim de semana a todos... Nanda

4 comentários:

Olavo disse...

Vcs somem mesmo..
e estão em 3...nossa rsrs
mas ta certa isso aqui nao é prioridade nao
Bom final de semana
Beijo

Anne disse...

Bom, difícil saber do q a gente vai ou nao se arrepender um dia. Eu penso mto antes de fazer, odeio arrependimento, mas não dá pra acertar sempre, nao adianta. Beber Q'boa? Se isso servir pra dar uma faxinada no cérebro, bota dose dupla pra mim!!! Aproveita os dentes sim, tomando cuidado pra nao perde-los em uma das "cagadas" pelo caminho...rs.

Ahhh, vou apostar no pé de arruda, se funcionar bem como "espanta zica" eu volto aqui e te passo a receita sim, podexá! Bjosss e obrigada pela visita.

Mimirabolante disse...

rsrsrsrsrsr......

Rebeca Oliveira. disse...

Indecisões são necessárias para que possamos avaliar os dois lados da vida;
Eu poderia dizer: "Siga seu coração", entretanto em algumas situações o coração tem que trabalhar diretamente com a razão;
Tudo depende da situação; porque se não fosse assim, a exceções não existiriam.

Beijos, Rê.